quinta-feira, novembro 30, 2006

Agora

Há oito dias nasceu na Santa Casa de Patrocínio Paulista a menina Marcela de Jesus. A criança nasceu sem cérebro, e a espectativa dos médicos era de que sobrevivesse apenas poucas horas, no entanto ela já vive há uma semana. Sua mãe, Cacilda Ferreira, ficou sabendo do problema da filha já no quarto mês de gestação, porém nunca cogitou interromper a gravidez – "sua vida pertence a Deus, e não a mim". Ao lado da filha 24 horas por dia, Cacilda amamenta seu bebê e a cobre de cuidados e carinhos. Ela diz que o tempo que a criança viver será o bastante para ela, e quer aproveitar cada minuto desse convívio, uma vida que ela considera um milagre.

Há um poema de Dogen que diz assim:

Como devemos viver?
Nascemos e morremos uma vez nesta vida.
Como devemos vivê-la?
Este é o ponto fundamental do ensinamento de Buda.
Viver muito é algo com o que se alegrar?
A vida não é assim.
É triste morrer após uma vida curta?
A vida não é assim.
O ponto é: como devemos viver?


Que o amor entre essa mãe e filha possa se espalhar pelas 10 direções e pelos três mundos e preencher os corações de todos os seres.



Um comentário:

  1. Sábias palavras, de Dogen e da mãe.
    Fiquei tocado.

    ResponderExcluir